Defesa Civil monitora rios do município

Defesa Civil monitora rios do município

Cinco locais estão sendo inspecionados pelos agentes

Por João da Silva 21/10/2015 - 18:23 hs

Mambucaba, Perequê, Bracuí, Ariró e Pontal. Esses são os rios que cortam os principais bairros em Angra dos Reis e também algumas das preocupações da Secretaria Especial de Defesa Civil e Trânsito. Por isso, agentes da autarquia estão instalando réguas linimétricas em pontos estratégicos e fazendo manutenção nas que já existem. Esse equipamento serve para medir a evolução do rio durante a época de chuva, para que a instituição tome medidas preventivas na região, evitando que os moradores sejam pegos de surpresa por uma enchente.

O trabalho começou na semana passada e segue por mais duas semanas. Os agentes vão aos rios, identificam o melhor local para instalar as réguas, como a estrutura de uma ponte, e depois colocam a marcação (em centímetros).

– A ideia é fazermos o trabalho em todos os rios do município. Começamos pelos rios do lado oeste de Angra dos Reis, já que são os mais problemáticos. Temos históricos de cheia de rios aqui em Angra e os daquela região sempre causaram mais transtorno. Nosso objetivo é o de salvar vidas, por isso, investimos na prevenção. Com esses equipamentos podemos enviar equipes aos bairros antes que eles sejam afetados – observou o secretário da pasta, Marco Oliveira.

OS RIOS DA REGIÃO 
O rio Mambucaba tem um local crítico nos seus 58 km de extensão. As inundações afetam diretamente a parte urbana do bairro, que leva o mesmo nome do rio. Já o rio Perequê, que fica no mesmo bairro, tem dois pontos críticos ao longo dos seus 9,8 km de extensão, que são afetados pela cheia do vizinho Mambucaba.

Mais adiante, no rio Bracuí, os técnicos identificaram três pontos mais críticos nos seus 31,5 km. As inundações ocorrem, segundo os especialistas, no baixo curso do rio, no bairro Sertão do Bracuí. O rio Ariró inspira um pouco mais de cuidado, já que são quatro pontos críticos ao longo dos 17,5 km de extensão. Quando o rio enche muito, chega a impedir o acesso ao bairro e as residências no entorno são atingidas.

O rio mais crítico, segundo a análise dos técnicos, tem cinco pontos críticos. As inundações oriundas do rio Pontal da Areia, que tem 12,2 km, ocorrem no baixo curso do rio, no bairro pontal.

O último registro de alagamento nos cinco rios ao mesmo tempo, no mesmo dia, foi em 3 de janeiro de 2013.