Reajuste anual na conta de energia ocorrerá todo mês de dezembro; Procon fiscaliza

O Procon informou que irá fiscalizar o reajuste anunciado ontem (27)

Por Portalburiti.com 28/11/2018 - 16:47 hs
Foto: Imagem reprodução

O gerente de relacionamento com o cliente da Cepisa, Joaquim Milhomem, declarou que o reajuste tarifário de energia no Piauí ocorrerá anualmente no mês de dezembro. O Procon informou que irá fiscalizar o reajuste anunciado ontem (27), e válido a partir do próximo domingo (2); se ele pode ser considerado abusivo ou não. 

O primeiro reajuste, após o leilão da distribuidora, ocorrido em julho deste ano, ocorrerá a partir do próximo domingo (2). A mudança no mês de reajuste acontece devido o tempo de repasse da distribuidora da Eletrobrás para a Equatorial, que foi de 45 dias. 

"Uma vez que o contrato de concessão com a Equatorial foi assinado depois da data original de reajuste, esses 45 dias se perpetuam no contrato de concessão. Então, não teremos mais na Cepisa os reajustes em setembro ou agosto, como era anteriormente. Todos os anos, agora, os reajustes serão exatamente no dia 02 de dezembro", afirmou Milhomem, destacando que a cada cinco anos ocorre a revisão tarifária. 

Questionado sobre a expectativa de uma redução na tarifa com o leilão, o gerente argumentou que o reajuste previsto de 20.64% aconteceria para qualquer empresa que comprasse a distribuidora no Piauí, devido o modelo e as regra do setor.

O reajuste ficou no valor de 12,64% devido a redução dois oito pontos percentuais acordados na venda da distribuidora.  O valor médio pago por quilowatt-hora sairá de R$ 0,55 para R$ 0,62.

"A Equatorial abriu mão de oito pontos percentuais de qualquer reajuste que viesse. Esse foi um compromisso no leilão, que corresponde as ineficiências operacionais da empresa, que já estariam consolidados neste reajuste. Se o reajuste fosse de 10, nós abriríamos mão de  oito e repassaríamos dois. Como o reajuste foi homologado em 20.64%, nós deduzimos os oito comprometidos no leilão e, naturalmente, pelas regras do setor elétrico o consumidor vai acabar arcando com isso".